terça-feira, 6 de julho de 2010

Fantasmas existem?

Casos de aparições, vozes eletrônicas e supostas manifestações espirituais de todos os tipos há muito assombram o império do racionalismo.


Destemidos quando se trata de estudar a vida, a maior parte dos cientistas querem distância da pergunta fatal: o que acontece a nossa consciência depois que morremos?
A ciência gosta de certezas e eis um campo onde elas não são nada fáceis de encontrar. "Um fato só é científicamente aceitável quando, respeitadas as mesmas condições, pode ser reproduzido em qualquer laboratório do mundo". diz Álvaro Vanaucci, professor do departamento de física aplicada da USP.
Nem todo cientista, no entanto, foge quando ouve falar em fantasmas. Vanaucci cita trabalhos de pesquisadores de universidades importantes do mundo todo, alguns publicados em revistas cientificas, relatando investigações de fenômenos inexplicados, como objetos que levitam, sons que surgem do nada, aparições e até materialização de espíritos.

Aparições:
São os famosos fantasmas, espíritos de pessoas mortas que por instantes se transformam visíveis para os vivos. Podem ser transparentes, esferas de luz, etc.
Para os espíritas, algumas pessoas, tem maior facilidade de entrar em contato com os espíritos. A psiquiatria há muito estuda a relação da mediunidade como distúrbios mentais, mas até hoje não conseguiu provar que essas pessoas tem algum problema.

Vozes eletrônicas:
Frases inteiras que aparecem gravadas como supostas mensagens dos mortos. A idéia de se comunicar como os mortos por meio de aparelhos eletrônicos não é novidade. Recentemente, surgiu no Brasil um grupo que alega grande sucesso nesse tipo de comunicação. O que tem intrigado os cientistas nessas ocasiões são as gravações. Algumas gravações podem ser ouvidas de frente para trás e de trás para frente, em cada direção elas formam frases diferentes. Não se conhece tecnologia capaz de fazer isso.

Possessões:
Espíritos ou demônios entrando no corpo de uma pessoa que passa agir de forma muito estranha, até hoje, há padres treinados para expulsar esses intrusos. O filme o exorcista, por exemplo, foi baseado num diário de um padre. Na maioria dos casos, a psiquiatria diagnostica estas pessoas como altamente perturbadas. O fato de algumas falarem outros idiomas desconhecidos é que nem sempre é bem explicado.

Poltergeists:
São fantasmas barulhentos. Espíritos inquietos que jogam coisas na parede, batem portas e janelas, sacodem móveis, quebram louças e vidros. Fenômenos desse tipo costumam estar associados à presença de uma pessoa, em geral criança ou adolescente.
Lembram da garotinha do filme Poltergeist, o fenômeno? Parapsicólogos interpretaram essas manifestações como energias descontroladas da própria pessoa.
Cirurgias espirituais:
Todo mundo já ouviu falar de pessoas que, supostamente, incorporam o espírito de um médico e começam a realizar curas milagrosas. Alexandre Almeida do núcleo de estudos problemas espirituais e religiosos da USP fez um estudo sobre um sobre uma dessas medicinas e diz que constatou casos bastante curiosos. Ele cortava as pessoas com uma faca de cozinha, sem anestesia, conta Almeida. Acompanhamos uma pessoa que passou pelo procedimento e algum dias após a cirurgia não teve infecção.

1 comentários:

Caio disse...

nunca tive nunhuma experiencia desse tipo,mas msm assim acredito

6 de julho de 2010 11:50

Postar um comentário