sexta-feira, 16 de outubro de 2009

São Paulo Mal Assombrada – Bairro da Liberdade

Hoje damos continuidade à série “São Paulo Mal Assombrada” nas postagens anteriores já mostramos as lendas dos pontos mais assustadores da cidade, entre eles: Castelinho da Rua Apa, Edifício Joelma e Vale do Anhangabaú. Se você deseja ler algumas dessas matérias, utilize a nossa barra de pesquisas na lateral.

O Bairro da Liberdade é um dos mais famosos e tradicionais da cidade, o bairro é muito famoso pela sua forte cultura oriental, o bairro é ocupado por lojas e restaurantes, que vendem produtos relacionados com essa cultura.

Poucas pessoas sabem, mas o atual bairro da Liberdade abrigou o primeiro cemitério da cidade de São Paulo, foi criado em 1774 para abrigar os pobres, condenados, indigentes e não-católicos da cidade. Os mais ricos na época, eram enterrados dentro das igrejas ou em volta delas.

Próximo ao cemitério, onde atualmente é a Praça da Liberadde, ficava a forca da cidade de São Paulo, na forca eram executados escravos fugitivos e condenados por crimes como exemplo para os demais escravos. Diz a lenda que lá aconteceu o enforcamento do soldado Francisco José das Chagas, conhecido pelas pessoas como “Chaguinha”.

O Chaguinha foi condenado ao enforcamento pelo governo da época. Em sua execução, no Largo da Forca, a corda rompeu duas vezes, algo incrível e que o público que assistia atribuiu como um “milagre”, e gritaram “Liberdade”. Dizem que por isso, a praça tenha esse nome atualmente.

Ao contrário da vontade do povo, o governo permaneceu com sua ordem de executar o Chaquinha, e veio a ser executado horas depois na mesma praça.

Em 1779, o governo mandou construir dentro do cemitério capela dos aflitos, sendo a capela do Cemitério dos Aflitos.

Em 1858 com a construção do cemitério da Consolação o governo ordenou o fechamento do cemitério dos Aflitos, existem poucos registros da retirada das ossadas, e muitos afirmam que os corpos dos ali sepultados inclusive o “Chaguinha” podem estar até hoje no solo da região.

A capela dos Aflitos existe até hoje no Beco dos Aflitos, muito escondida entre os grandes prédios, lojas e restaurantes, os populares fazem pedidos ao “Chaguinha” que se tornou uma espécie de santo muito popular no bairro.

No atual largo da Liberdade, existe a Igreja da Santa Cruz dos enforcados, em homenagem aos que foram enforcados onde hoje está a Igreja, no altar existe uma cruz de madeira da cor preta, diz à lenda que essa cruz pertencia ao antigo cemitério que era muito próximo onde hoje fica a Igreja.

Pessoas da região dizem que as atuais ruas, que estão localizadas onde ficava o antigo cemitério, são assombradas na madrugada pelos espíritos que ali foram sepultados. Vidros que se quebram, gritos durante a noite e vultos, são acontecimentos bastante comuns para quem mora ou trabalha na região. Há também relatos de espíritos e vultos na estação Liberdade do Metrô que está localizada no subsolo da Praça da Liberdade.


Que tal um passeio durante a noite pelas ruas do Bairro da Liberdade? Tem coragem?

5 comentários:

Caio disse...

conheço tbm algumas histórias desse tipo sobre a Liberdade...mas fui poucas vezes na Liberdade acho q 1 ou 2 vezes

16 de outubro de 2009 14:14
ϟ Яэиэsסּη™ disse...

Nossa eu estou amando essas matérias. Fui até conhecer o Casrelinho da Rua Apa uhasausuahsuahsuahsuah. Muiito meedo.

16 de outubro de 2009 14:16
Gust... disse...

Nossa, eu não sabia dessa "parte" da Liberdade não haha..macabro!

18 de outubro de 2009 09:19
leonardo disse...

Nunca pensei qe o bairro da liberdade era assim...

19 de outubro de 2009 23:36
Anônimo disse...

Gostaria de pedir para vcs fazerem reportagens de outras cidades além de SP

22 de outubro de 2009 17:51

Postar um comentário